sexta-feira, 12 de outubro de 2012

IGREJA OU MACUMBA???

O Senhor Jesus Cristo me chamou para o Evangelho há exatos 20 anos passados e posso dizer com muita propriedade que já vi muita coisa nesta longa estrada. Já vi muitas das profecias bíblicas serem cumpridas de forma plena e com uma precisão espantosa. E uma dessas profecias é a que está contida em 1° Timóteo 4.1 que a marca predominante dos últimos dias da história humana seria a apostasia, o afastamento da fé verdadeira. Estamos justamente vivendo esses dias. Basta apenas visitarmos algumas das igrejas espalhadas pelo nosso país e poderemos comprovar essa verdade.



Com as “campanhas” que vemos nas igrejas, não temos certeza se estamos de verdade em um culto de oração ou em um terreiro de macumba. Isso é triste de dizer, mas é a mais pura verdade. As “promessas” que são feitas nessas campanhas mais parecem com as promessas e predições que os pais de santos dão nos terreiros de umbanda. Sem falar que o que é prezado nesses cultos é mais os “movimentos” e “manifestações” espirituais do que propriamente a Palavra de Deus, que deveria ser o ápice de qualquer culto verdadeiramente cristão.

Mas o que me incomoda de verdade são os escândalos que são oriundos das manifestações espirituais que essas campanhas contêm. Quando uma pessoa que ainda não conhece o Evangelho entra em um desses cultos, tem duas concepções: ama a situação porque se assemelha muito ao que ela poderia encontrar em um terreiro de umbanda, ou repudia, pois tem em mente que a igreja deveria ser um lugar em que se possa encontrar alívio e não histeria. As duas opções são extremamente danosas ao Evangelho, mas essa é a práxis das igrejas hodiernas, e é isso que muitos crentes têm buscado. As igrejas que não oferecem “manifestações histéricas” de espiritualismo são consideradas frias e por isso são rejeitadas.


O que dizer também dos pregadores e líderes que encontramos nessas campanhas??? É vergonhoso dizer o que vamos expor aqui, mas isso é um fato. 99,9% deles são pessoas descontroladas, histéricas, mas, sobretudo, espertalhonas. São obreiros manipuladores que sabem onde e quando apelar ao emocionalismo para disso extrair algum ganho pecuniário.

Muitos desses pastores a pastoras foram consagrados por convenções espúrias ou se auto-consagraram pastores. São pessoas despreparadas espiritual e teologicamente, porém são experts em manipulações. Quando os crentes visitam suas igrejas, uma das primeiras coisas que eles fazem é “profetizar” ou “revelar” que seus pastores as estão perseguindo ou humilhando, e que Deus quer que eles procurem um lugar melhor. Mas é claro que esse lugar melhor é sempre a igreja em que este pastor (a) é o líder.
O que é mais engraçado é que esses pseudos-pastores (as) quando abrem um ponto de trabalho, sua prioridade nunca é a evangelização. Eles não saem sozinhos ou mesmo com um grupo para evangelizar as almas perdidas que necessitam o Evangelho. O que fazem é abrir um círculo de oração em que a prioridade é as manifestações de espiritualidade histérica que os crentes incautos tanto amam. A intenção desses obreiros da iniquidade é de arrebanhar os crentes de outras igrejas, uma vez que para eles isso é bem mais fácil do que suar a camisa para evangelizar os perdidos. E muitas vezes para conseguir o que querem, esses líderes denigrem a integridade de igrejas e pastores que estão entregando o seu sangue para levar o Evangelho aos perdidos.

O que mais escutamos em nossos dias são as expressões: canela de fogo, sapatinho de fogo, carruagem de fogo, homem do fogo, fogo e glória, fogo e poder, fogo do céu, bolinha de fogo, etc. Mas o que esses iletrados bíblicos esquecem é que o fogo é um dos símbolos do juízo de Deus e que um dia, quando estivermos na presença do Rei no Tribunal de Cristo, o fogo irá provar as obras que foram feitas aqui na terra por meio do corpo (2° Coríntios 5.10). Aí é quando vamos ver qual recompensa terá aqueles que roubaram os crentes de outras igrejas e que manipularam a fé e a emoção dos que são desprovidos de conhecimento Bíblico. Muitos naquele dia dirão: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? Não expulsamos demônios e curamos em teu nome? Porém, o Senhor os responderá: Saiam de perto de mim, todos vocês que só praticaram o pecado porque eu nunca os conheci. (Mateus 7.22,23) (paráfrase do autor).


Falando ainda dos pregadores... Meu Deus, aonde chegamos!!! Já perdemos a conta de quantos “pregadores profissionais” existem hoje. Eles se denominam de itinerantes, mas na verdade são camelôs da fé. Oferecem ao povo aquilo que sabe que o povo quer ouvir. E cobram muito alto para pregar o Evangelho que receberam de graça (Mateus 10.8b). Mas o que é mais impressionante é que os crentes pagam o preço cobrado e se irritam quando alguém que tenha pelo menos um pouco de senso crítico denuncia essa simonia.

Falo isso por conhecimento de causa, pois por certo tempo convivi com alguns desses pregadores profissionais. E por isso posso dizer com toda firmeza que sua prática é bem diferente do seu discurso. O que falam no púlpito passa bem longe de suas vidas particulares. Muitos desses pregadores vivem no mais negro pecado. Muitos deles, logo após saírem do seu espetáculo santo vão para os finos restaurantes gastar a “grana” que arrecadaram facilmente dos crédulos e enchem a cara com as mais sofisticadas bebidas alcoólicas que momentos antes haviam repudiado no púlpito. Outros pegam o dinheiro que conseguiram com a manipulação dos fiéis e pagam a conta dos motéis onde macularam o nome de Cristão que nos foi comprado a preço de Sangue pelo Senhor Jesus.


Mas não fica só aí. Muitas dessas igrejas e suas campanhas de poder ainda se dizem a última solução de Deus para os homens dos nossos dias. Se dizem a “geração do avivamento”. Mas com seus argumentos manipuladores joga na lama todo esforço que é feito pelos verdadeiros homens de Deus que tem oferecido suas vidas no altar do sacrifício. E os crentes deslumbrados aplaudem quando aqueles que vivem a sua vida para expor a verdadeira e pura Palavra de Deus são ridicularizados pelos “espirituais” que fazem comercio daquilo que é santo.

Em suma, aonde vamos chegar com tudo isso? O que devemos buscar? Um pastor que cuide de verdade do rebanho do Senhor ou um pai de santo gospel que faz predições convenientes? Devemos buscar uma igreja séria que se preocupe não apenas com o dinheiro das ovelhas, mas com a sua ida para o céu, ou devemos continuar enchendo os círculos de oração que massageiam o ego? A ESCOLHA É SUA!!!





Compartilhar:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DEIXE SEU COMENTÁRIO AQUI

CONHEÇA OS LIVROS DO PR. RICARDO CASTRO

TRANSLATE

FAÇA UMA DOAÇÃO

FAÇA UMA DOAÇÃO

FAÇA UMA DOAÇÃO COM PAGSEGURO

Seguidores

Total de visualizações

ONLINE AGORA

Tecnologia do Blogger.

Pastor Ricardo Castro

Minha foto
João Pessoa, Paraíba, Brazil
Pastor Fundador da Igreja Bíblica Vida Eterna (IBVE) na cidade de João Pessoa/PB. Músico, escritor e Teólogo, Casado com a Missionária Sulamita Castro e Pai de Nathan Castro e Ricardo Castro Jr (Ambos Músicos). Tocou em diversas bandas gospel (Aliança, Força e Louvor, Exodus, Mount Hermon, Plena Virtude). Hoje é Produtor e Maneger da Banda Gospel Pacto 7, a qual seus filhos fazem parte. Contato: Email: ricardo.castro828@gmail.com -Fones: (83) 98820-2712 *** (83) 3238-2712

BAIXE ESTE LIVRO AGORA

PEDIDO DE ORAÇÃO

Nome

E-mail *

Mensagem *

CLIQUE AQUI E CONHEÇA NOSSA IGREJA

SIGA-NOS POR EMAIL

PRA. SULAMITA & PR. RICARDO CASTRO

PRA. SULAMITA & PR. RICARDO CASTRO

POSTAGENS

NOTÍCIAS GOSPEL

SLIDE SHOW

PastorRicardo_Castro_Ibve's  album on Photobucket

CONHEÇA MEU LIVRO