quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

ANÁLISE DE LIVROS: FERIDOS EM NOME DE DEUS - Marília de Camargo César


Título: Feridos em nome de Deus
Autor: Marília de Camargo César
Ano: 2009
155 Páginas
Editora Mundo Cristão

Marília de Camargo César é uma mulher que nasceu em um lar cristão tradicional e que depois de muitos anos passou a frequentar uma denominação pentecostal com a qual teve um relacionamento dúbia. De um lado ela passa a ter uma vivência experiencial com o Espírito Santo e um crescimento exponencial no conhecimento da Bíblia, e por outro lado passou por amargas situações de abuso espiritual com esta denominação que a levou a escrever o livro em questão.
Jornalista por formação, com experiência em grandes jornais de nosso país, ela conseguiu escrever um livro que torna-se muito fácil de ler. E as histórias de vítimas de abuso espiritual nos deixam sem fôlego devido a profundidade de sua dor.
Confesso que comprei esse livro apenas pelo título (Coisa que não faço com frequência), pois esse assunto me interessa bastante e já possui um material considerável sobre ele.
Contudo, ao passar os primeiros capítulos e conhecermos as histórias de vítimas do abuso espiritual (incluindo a sua própria história), percebemos que a autora ainda está muito magoada com sua antiga denominação e com a igreja em geral. Então passamos a perceber que o livro se trata de mais uma obra destinada aos "Desigrejados", isto é, aqueles que estão fora da igreja e que incentivam outros a abandonarem. Ela não faz uso de generalizações quando fala de pastores e líderes autores do abuso, bem como alega que alguns dele cometem esses abusos de forma inconsciêntes. Mas quando a autora começa a exaltar os profissionais da área da Psicologia e Psiquiatria dizendo que eles são a única solução para todas as pessoas que se sentem de alguma forma vitimadas espiritualmente, um leitor comum e despreparado pode pensar que a igreja é um lugar de dor e cativeiro psicológico. E quando em alguns momentos ela afirma que a grande maioria dos pastores são desprepados para lidar com pessoas fragilizadas e que mesmo aqueles que frequentaram um seminário só têm uma noção básica e rasa da psicologia, ela deixa a entender que a Igreja como um todo não tem condições de restaurar uma alma ferida. Alegando isso a autora fecha os olhos para uma miríade de vítumas de abusos físicos e espirituais que entram todos os dias pelas portas das igrejas buscando ajuda e que saem de lá restauradas e restituídas. Uma dessas vidas fui eu mesmo que cheguei à igreja Evangélica em 1992 ferido e maltradado espiritualmente e que alguns pastores, mesmo sem a tão exaltada formação em Psicologia, me ajudaram a superar meus traumas e dilemas, e hoje 23 anos depois sou pastor como eles. Não podemos subestimar a atuação do Espírito Santo sobre a vida de homens e mulheres consagradas que são instrumentos de Deus nesta terra.
O que é interessante é que dentre os poucos pastores que ela parece acreditar estão o nome de Ricardo Gondin que há tempos passados alegou que abandonou o movimento evangélico e Ed René Kivitz, que é de é defensor do universalismo (doutrina que defende que todos os homens serão salvos). 
Mas o livro não é de todo condenável. Pode-se tirar coisas muito boas nele. Eu mesmo, na condição de pastor pude absorver conhecimento saldável desta obra. Mas advirto que a mesma deve ser lida com um olhar crítico, para que possamos reter apenas o bem deste livro. 1ª Tess. 5:21

Pastor Ricardo Castro
Igreja Bíblica Vida Eterna - IBVE
Compartilhar:

8 comentários:

  1. Discordo da sua análise totalmente distorcida do livro. A autora só pôde escrever o livro depois que conseguiu curar as ferudas causadas pelo abuso sofrido. Em nenhum momento, senti mágoa em seu relato. O senhor está confuso. Está confundindo o relato que ela faz do estrago nos corações que certamente foram maculados e tiveram ou ainda tinham que ser restaurados, com a permanência de uma raiz de amargura que, no caso da própria autora não existe mais. Algumas das vítimas do livro ainda estavam claramente magoadas.
    O senhor insinua que ela escreveu o livro por vingança. Deus também deve ter escrito diversas passagens que abomina a postura dos pastores abusivos, tanto no velho como no novo testamento. É o fim da picada achar que uma pessoa esclarecida como a autora tenha feito um livro por mágoa. Se assim o fosse ficaria claro. O senhor quer mascarar a importância desta denúncia. Em todas as igrejas, infelizmente em sua maioria, há abuso espiritual sim. Desde os mais extremos como o que a autora denuncia, como inventarem dízimos como ordenança aos cristãos chamando as cnpjs de casa do tesouro. Ora, sabemos que há uma só Casa do Tesouro e templo que aguarda a sua reconstrução em Jerusalém. O próprio Deus afirmou que jamais habitaria em templo feito por mãos humanas.
    Jesus em Mateus 23, por outro lado, é implacável quanto aos pastores e líderes abusivos e condena e abomina os cristãos chamarem outros de chefes, líderes, mestres, pais na fé ou qualquer outra qualificação semelhante. Como reverendo, por exemplo, que é ridículo. O único Reverendo,Pai, Verdadeiro Pastor, Mestre, Líder é Deus, Pai, Filho e Espírito Santo.
    A autora, eu diria, foi bem corajosa ao denunciar essa classe corporativista que se cala mediante colegas promiscuos, roubadores, tiranos, mentirosos, exploradores das mazelas humanas pra defender cada um o seu quadrado. Há até um falso e hipócrita código de ética velado que os faz preferir deixar um cristão ferido se afastar de Deus do que acolhê-lo, caso ele tenha sido ferido em.outra denominação. Como gostam de dizer, não vão tratar de peixes que não são do seu aquário. Não há mesmo outra qualificação mais perfeita do que aquela que Jesus dá: serpentes, raça de viboras, sepulcros caiados por fora mas putefratos por dentro. Ainda bem que no céu não haverá pastores, apenas filhos amados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara amiga, vejo que vc também assimilou a falácia dos "desigrejados" e a exemplo da autora deste livro também expressa alguma mágua contra a igreja. Acho hilariante como vcs lançam seus argumentos contra a igreja e seus líderes sem levar em conta que foi o próprio Senhor quem os constituiu. Leia um poouco mais a Bíblia e ela abrirá seus olhos para a verdade (se vc não se deixar consumir pela mágua).
      Não disse em lugar algum de minha análise que não existam abusos espirituais dentro da igreja, assim como afirmo que há abusos também entre vcs "desigrejados". O abuso existe e nem todos os líderes são pessoas sérias e comprometidas com a causa do Evangélho. O Senhor já havia predito isso nos Evangelhos. Contudo, vc, a autora e os outros desigrejados não podem negar o ministério restaurador dos verdadeiros servos de Deus que tem dedicado sua vida ao Evangelho do Senhor Jesus. Se vc nega tal coisa é porque seu coração está fechado a verdade pela mágua que tens.
      Leia as Escrutas, ore ao Senhor, limpe-se de sua mágua e vc viverá o Evangelho verdaeiro.

      Excluir
  2. Prezado pastor Ricardo

    Eu não sou um "desigrejado" como o senhor menciona e clamo ao Senhor meu Deus que não permita que eu venha a ser mais um desta categoria.
    Ainda não li o livro sobre o qual o senhor faz a sua crítica, mas pretendo adiquiri-lo.
    Entretanto, pude notar que o senhor ficou um tanto ao quanto refratário às supostas críticas que o livro fez às posturas de alguns pastores, perccebi até um ar de corporativismo.
    O Senhor não conhece todos os pastores, como também não sabe de tudo o que acontece no mundo eclesiástico.
    Os pastores são homens, portanto falíveis, e muitos ungidos do Senhor têm permitido que a soberba tome conta dos seus espíritos e como consequência estão ferindo sim muitas ovelhas.
    Querido pastor, para aqueles que estão ferindo as ovelhas do Senhor eu deixo a palavra de Deus que está em Ezequiel 34.2,4,8.

    Que Deus o abençoe.

    Sidney

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Sidney.

      Não existe nada de corporativismo em minhas palavras. Mas sim, conhecimento de causa. Sei do que estou falando, pois meu nome figura nesse meio por mais de vinte anos. Então, entendo que sei do que estou falando.
      Por outro lado suas palavras revelam alguém influenciado (manipulado) por "videozinhos" do youtube feito por pseudos teólogos "espirituais" que não entendem nada da Bíblia e do que é abraçar o ministério por amor as almas.
      Em lugar algum disse que não existem maus pastores. Pelo contrário, conheço alguns que são lobos devoradores. E conheço muitos outros que conquanto sejam bem intencionados, são mal preparados e sobrecarregados e por isso no afã de querer acertar, acabam errando. Mas existe uma miríade de outros homens de Deus que são bem preparados, chamados, consagrados e que tem dedicado sua vida e sua família ao Reino de Deus e que são alvos do ataque desses pseudo-cristãos que jogam sobre seus ombros a culpa de todos os problemas de pessoas mimadas e com egos inflados. E oro a Deus para que vc não seja um desses.
      Não digo que não aja erro em nosso meio, assim como também existem em qualquer ajuntamento humano. Mas quero lembrar-lhe que os pastores são um presente (dom) de Deus à Sua igreja (Efésios 4:11,12) e que os tais merecem ao menos o respeito daqueles de que ele terá que prestar contas diante do Rei (Hebreus 13:17)

      Excluir
  3. DESIGREJADO , TERMO MARGINAL . QUER DIZER SE ME REUNO REGULARMENTE COM UM GRUPO DE IRMAOS EM CRISTO HA ANOS EM MINHA CASA E QUE NESTE GRUPO ESTUDAMOS A PALAVRA, COMPARTILHAMOS DELA COM OUTRAS PESSOAS ,PROVEMOS ACOES DE AJUDA A MORADORES DE RUA, HOSPITAIS E PRESIDIOS MAS SO PORQUE NAO TEMOS O CNPJ NEM O TEMPLO LOGO SOMO DESIGREJADOS?
    FACA ME O FAVOR , MEUS IRMAOS INFELIZMENTE O CERTO HOJE VIROU O ERRADO E VICE E VERSA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro irmão(ã), entendo e respeito sua posição.
      Porém fico a pensar: por qual motivo vc e o grupo que se reúne em sua casa preferem não fazer parte de uma igreja? Como vc mesmo falou seu grupo é uma igreja, só não tem CNPJ.
      Se vcs não querem se filiar a qualquer igreja eu entendo e respeito. Mas vcs não passam de mais uma denominação sem nome. Isto é, vcs são uma igreja.
      Mas o termo desigrajado refere-se àquelas pessoas que são totalmente contrárias à igreja em seu sentido mais restrito.

      Excluir

DEIXE SEU COMENTÁRIO AQUI

CONHEÇA OS LIVROS DO PR. RICARDO CASTRO

TRANSLATE

HELP US

HELP US

Seguidores

Total de visualizações

ONLINE AGORA

Tecnologia do Blogger.

Pastor Ricardo Castro

Minha foto
João Pessoa, Paraíba, Brazil
Pastor Fundador da Igreja Bíblica Vida Eterna (IBVE) na cidade de João Pessoa/PB. Músico, escritor e Teólogo, Casado com a Missionária Sulamita Castro e Pai de Nathan Castro e Ricardo Castro Jr (Ambos Músicos). Tocou em diversas bandas gospel (Aliança, Força e Louvor, Exodus, Mount Hermon, Plena Virtude). Hoje é Produtor e Maneger da Banda Gospel Pacto 7, a qual seus filhos fazem parte. Contato: Email: ricardo.castro828@gmail.com -Fones: (83) 98820-2712 *** (83) 3238-2712

BAIXE ESTE LIVRO AGORA

PEDIDO DE ORAÇÃO

Nome

E-mail *

Mensagem *

CLIQUE AQUI E CONHEÇA NOSSA IGREJA

SIGA-NOS POR EMAIL

PRA. SULAMITA & PR. RICARDO CASTRO

PRA. SULAMITA & PR. RICARDO CASTRO

POSTAGENS

NOTÍCIAS GOSPEL

SLIDE SHOW

PastorRicardo_Castro_Ibve's  album on Photobucket

CONHEÇA MEU LIVRO